Loading...

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Inseparáveis o elo essencial entre Adoração e Palavra


Por - Louie Giglio

Bem, isso foi há um mês e a onda de euforia inicial diminuiu. Acho que só uns poucos ainda estão avançando. Mas na semana passada um daqueles poucos encheu meu coração de esperança pelos líderes de louvor e adoração do futuro. Notei que ele estava com uma cópia de Colossenses e perguntei como ele estava indo. Eu memorizei todo o capítulo 1 e estou indo para o capítulo 2 ele respondeu. Ele é o guitarrista da banda e nem era o líder que ministra à frente o louvor e adoração! Wow! (Estou sorrindo)
Veja; a adoração e a Palavra são inseparáveis. Como adoradores e ministros, devemos continuamente vincular nossas vidas com a Palavra viva de Deus, tanto para nutrir nossas almas quanto para alimentar nossos rebanhos.
Ao contrário da cultura moderna, adoração não começa com a música, mas com Deus. Na verdade, tudo começa com Ele, o Logos de vida (Palavra), o Alfa e o Ômega, começo e fim. Assim, lemos na abertura do Evangelho de João: No princípio era aquele que é a Palavra. Ele estava com Deus, e era Deus." (João 1:1). Anunciando a chegada de Cristo na Terra, João escreve: Aquele que é a Palavra tornou-se carne e viveu entre nós." (v. 14, NVI).
Se cremos que Jesus é notável, e, portanto, deve ser a peça central de nossa vida e nossa adoração, um pouco de lógica nos leva ao caminho: Jesus é o centro de toda a verdadeira adoração.
Jesus é a Palavra de Deus.
Portanto, a Palavra de Deus é o centro da verdadeira adoração de todos os tempos.
Sempre foi interessante para mim que o maior capítulo da Bíblia - Salmo 119 - é sobre o amor do salmista pela Palavra de Deus. Bem no meio deste manual incrível de louvor, encontramos o ministro de louvor comemorando o papel essencial da Palavra em sua própria vida. É lá que encontramos a confissão: Sete vezes por dia eu te louvo por causa das tuas justas ordenanças." (Salmo 119:164).
Observe a ligação diária entre a adoração e a Palavra na vida de Davi. Durante todo o dia, o salmista estava agradecendo a Deus pela verdade. Sim, ele estava sempre louvando a Deus. Mas ele também estava pensando sobre a Palavra de Deus a cada minuto do dia. É por isso que ele continua a dizer: Meus lábios transbordarão de louvor, pois me ensinas os teus decretos." (v. 171). Se eu estou lendo isso direito, a fonte de adoração do salmista é a ação da Palavra de Deus em sua vida. No caso dele, a ação da palavra precedeu o transbordar de louvor a Deus. Se você é como eu, você ouve as pessoas louvando a Deus o tempo todo. Mas quando foi a última vez que esteve ao redor de pessoas que estavam transbordando em adoração devido ao impacto que Palavra de Deus estava fazendo em suas vidas?
Canções por si só não mudam as pessoas. É a verdade que nos liberta. É essencial para nós, como líderes e adoradores mergulharmos em Sua Palavra e permitir que Sua Palavra remodele o contorno de nossos corações. Na verdade, Deus só tem um objetivo para todos nós, o de sermos conformes à imagem de Seu Filho (Romanos 8:29). Para sermos - conforme - é uma tarefa difícil e árdua, uma jornada que nos leva ao moldar e ao altar momento a momento. É um processo de transformação que resulta na constante renovação das nossas mentes pela verdade de Deus (Romanos 12:2).
Se não formos cuidadosos, podemos rapidamente inalar os sentimentos e emoções que experimentamos na adoração corporativa, só para ir embora com uma pequena mudança duradoura e substantiva em nossas almas. Em outras palavras, estamos propensos a nos alegrar proferindo palavras de louvor, enquanto continuamente desviamos da espada do Espírito. Como resultado, nossa adoração se torna uma concha escondendo a falsidade, enquanto nossos corações não abraçam Sua verdade para nossas vidas.
Se o meu amigo guitarrista talentoso se manter plugado em Colossenses, ele logo vai ser encorajado por esse desafio no capítulo 3: Habite ricamente em vocês a palavra de Cristo; ensinem e aconselhem-se uns aos outros com toda a sabedoria, E cantem salmos, hinos e cânticos espirituais com gratidão a Deus em seus corações." Colossenses 3:16 (ênfase adicionada). O que começa com um coração em Sua Palavra terminará sempre em uma canção de louvor ao nosso Deus.
Então, gentilmente deixe o violão e pegue a Palavra de Deus. Dentro de suas páginas há vida e fôlego - e tudo o mais.
survivor.
Louie Giglio é um comunicador apaixonado; também é o arquiteto, visionário e Diretor das Conferências Passion, um movimento de faculdade chamando estudantes de todo o mundo para a vida que refletem o seu Criador. Através de encontros internacionais, o Passion convida os alunos em todos os lugares para viver o que mais importa: a glória de Deus. Louie é também Pastor da Passion City Church, em Atlanta, Georgia, uma comunidade local de fé com o DNA do Movimento Passion.
Fonte: www.kingsway.co.uk e http://www.adorando.com.br

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

Decifrando o enigma da vida







" Inclinarei os ouvidos a uma parábola, decifrarei o meu enigma ao som da harpa" Sl 49:4

Um dos significados da palavra inclinar é: desviar da verticalidade. Somos uma geração que não se "abaixa" mais para nada, não se desvia da verticalidade presunçosa e arrogante de querer só pra si, uma geração que olha pra cima mas, não sabe olhar para quem está do lado. Parecemos com as crianças que não querem se "render"  para dormir. É difícil dizer para uma criança que já é hora de dormir, para elas soa como uma derrota. 

Dar ouvidos é outro jurássico comportamento do ser-humano que caiu em desuso. Aliás, até damos ouvidos, mas normalmente, ao que não presta. Sabemos quem morreu, quem matou, quem discutiu com quem, mas ignoramos dar ouvidos a voz do Autor da Vida.

Nossa vida é uma parábola, e como as que Jesus contava, só Ele é que as resolve, responde e dá um final feliz. Constantemente a gente encontra gente que diz: "Se você soubesse como é a minha vida", ou: "Se você soubesse o que eu já passei". Uma sociedade que faz cada um da sua "parábola" um círculo vicioso. A vida humana ilustra verdades eternas, verdades essas, que o homem não pode evitar: vida, morte, choro, angústia, alegria, saudade, ansiedade... Traços simbólicos da nossa ligação com o que é Eterno.

Nossa vida é cheia de enigmas, perguntas sobre as quais procuramos resposta, coisas que não entendemos. Mistérios que não se desvendam na escola, por isso ao longo da vida o ser humano saiu em busca das mais diversas formas, querendo solução. O salmista tem uma sugestão: O som da Harpa.

Desvendamos os mistérios da vida ao som da harpa, ao som da nossa adoração à Deus. Murmurando, o mistério não cessa, se calando, continua sendo enigma, adorando à Deus decifra-se, o que antes eram  apenas trevas torna-se luz, a luta que parecia derrota passa a semente da nossa vitória. 

Passamos a usar as "notas" da dor para compor a mais linda canção de gratidão ao Compositor da vida. Machado de Assis escreveu que a vida é uma ópera bufa com intervalos de música séria. A nossa partiura é outra: tocamos na clave da Fé, numa cadeia ascendente, melodias que curam a alma em ritmo de esperança.

Se inclinando a Ele, dando-Lhe ouvidos a cerca da vida, decifrando os enigmas que só se interpretam Nele quando rendidos, entregamos no louvor de nosso coração.

Ao som da Harpa 
Andre Luiz

Fonte: http://terapiadecristo.blogspot.com.br/